13.9.07



(...)

Tudo é absurdo e grotesco menos a revolução implacável que conduz ao puro osso da terra, e tudo isto se acha, a cada passo, no que deitamos fora, no que abandonamos, no que não nos interessa. É por medo que deitamos fora, que abandonamos, que não nos interessa: medo das certezas que a pouco e pouco se desarticulam, do monte de pedras, desprovido de nexo, reunidas no limbo em que cuidamos não morar, dado que nos falta a esperança que não se extingue nem nas lâmpadas fundidas, e a certeza de um sorriso, em qualquer ponto, à espera.

(...)



António Lobo Antunes, A confissão do trapeiro, Terceiro Livro de Crónicas

Imagem: TeenageMutant

6 comentários:

Vanessa disse...

Grande murro no estômago agora... este homem mata-me... (...)

Beijinho*

menina tóxica disse...

as palavras dele dão cabo de nós com uma ternura...

:)*

Afonso disse...

Lindo!

Happy and Bleeding disse...

acabei de ler esse livro a semana passada. that's it, ele abre-nos o sobrolho com uma ternura invulgar...

eyes shut disse...

"É por medo que deitamos fora, que abandonamos, que não nos interessa"

o medo é um senhor muito grande...

menina tóxica disse...

afonso: :p

happy and bleeding: também achei que sim. 'diz-nos' as coisas de uma maneira que nos deixa totalmente desarmados.

:)

eyes shut: pois é. demasiado grande (de vez em quando).