27.12.07



passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos.

eugénio de andrade

imagem: gabriell332

9 comentários:

nuvem_preta disse...

o eugénio :) lindo, sempre!

Andreia disse...

por vezes andamos tão desatentos, que nunca é presente...*

Tinta no Bolso disse...

se alguém nos pede amor não estremecemos



arrepia-me...

Tinta no Bolso disse...

o que me arrepia é o poema, não o pedir amor, claro.

menina tóxica disse...

nuvem, lindo :))

andreia, bolas. e é mesmo verdade *

tinta no bolso, este poema também me arrepia um bocado grande.

Happy and Bleeding disse...

que bem anda este povinho :)

menina tóxica disse...

:))

Anónimo disse...

não estremeces nem te arrepias.

tintanobolso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.